Nós somos o YIN E o YANG

A desconexão com a Fonte e a extrema identificação com os aspetos práticos terrenos fez-nos adotar e preferir umas ferramentas em detrimento de outras nas nossas rotinas do dia a dia.
Por exemplo, os conceitos de luta, esforço, resistência, defesa e sobrevivência são vistos sempre como positivos e até como nobres, praticados por seres humanos honrados, corajosos e determinados.
Ou seja, o uso e abuso exclusivo da energia Yang, masculina e guerreira que dominou a Terra nos últimos 2000 anos. Podemos inclusive responsabilizar o abuso da mesma pelo estado de violência e guerra em que o mundo se encontra.
Mas vivemos numa realidade dual. Somos compostos de energia feminina e masculina. A viagem do Espirito é precisamente o equilíbrios dos polos dentro de nós.

A partir desta visão, fica no ar a seguinte questão;

Onde ficam então os conceitos de rendição, sensibilidade, desistência, entrega e morte??
Seremos tão ignorantes e cegos ao ponto de termos chegado ao ponto de rejeitar a tão essencial e complementar energia Yin??
Não temos todos nós, cada um de maneira diferente na nossa história, a experiência de que a energia Yin é em tantos casos, a única via de solução e superação dos mais variados desafios??
A dor profunda da morte de uma pessoa querida por exemplo é superada através da rendição e sensibilidade da energia Yin ou pela força e resistência da energia Yang?
Quando somos confrontados com o estado de violência do mundo, com a agressividade que existe entre pessoas, casais, famílias, países, raças, sexos, religiões o que é que de facto nos choca?
É a falta de poder, força e luta? Ou é a falta de sensibilidade, tolerância e amor?
Infelizmente a inconsciência e o desequilíbrio são tais no que toca à existência destas duas tão essenciais forças que chegámos ao ponto de rotular de doentes, fracas e emocionalmente desequilibradas as pessoas que se atrevem a vir mostrar ao mundo a falta que a energia Yin faz.
Se lembrarmos que o mundo é apenas uma materialização física da nossa energia coletiva percebemos que cada um de nós está a viver esta inconsciência e desequilíbrio interior e como tal está na nossa mão fazer as respetivas mudanças interiores.
Ambas as energias serão sempre complementares e essenciais à superação das provas terrenas.
Os filhos são muitas vezes quem nos mostra que que há momentos para a força e luta e há momentos para a sensibilidade e rendição.
Quem atraímos também nos vem mostrar o que temos em excesso e de que maneiras poderemos praticar a que nos falta.
Pior do que tudo é mesmo a ignorância desta mecânica pois inconscientes destas energias em nós, a mais forte irá dominar e arrastar-nos para os seus padrões negativos.
Seja a energia Yang em toda a sua força e extrema agressividade, seja a energia Yin em toda a sua passividade e extrema sensibilidade.

Mais cedo ou mais tarde, pela nossa mão ou pela mão da máquina cósmica essas energias serão reajustadas e reequilibradas.

Tudo o que nos acontece tem apenas esse propósito…

9920693

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *